terça-feira, 18 de novembro de 2008

Livros Demais?

A cada semana mais e mais livros chegam às livrarias a ponto de, com freqüência, ouvirmos os livreiros dizer que estão sem espaço nas lojas. Mas que ordem de grandeza é essa realmente?

Segundo pesquisa realizada pela FIPE - Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, encomendada pela CBL e pelo SNEL, para apurar a produção e as vendas do setor editorial brasileiro no ano de 2007, foram lançados 18.356 títulos em primeira edição, isto é, são novos títulos acrescentados no mercado neste ano específico e assim distribuídos:

1.221 de literatura infantil
404 de literatura juvenil
2.713 de literatura adulta
477 de línguas
1.027 de religiosos
880 de filosofia e psicologia
539 de artes, lazer e desportos
153 de ciências puras
1.237 de tecnologia e ciências aplicadas
2.802 de ciências sociais
5.849 de educação básica
184 de geografia e história
284 de generalidades
586 outros

Considerando que o ano tem 52 semanas logo, são 104 dias entre sábados e domingos; considere-se também uma média de 24 dias de feriados nacionais, estaduais e municipais. Sobram, portanto, 237 dias; dividindo-se pelo número de lançamentos tem-se uma média de 77 novos títulos por dia.

Mais alguns números para comparação; Gabriel Zaid no seu livro "Livros Demais! saber ler, escrever e publicar" informa que entre 1450 e 1500 foram publicados em torno de 15 mil títulos. "Em 1550 a bibliografia acumulada era em torno de 35 mil títulos; em 1650 era de 150 mil; em 1750 alcançou 700 mil; em 1850 foi de 3,3 milhões; em 1950 era de 16 milhões e, no ano 2000, atingiu 52 milhões." pág 21. A Livraria Cultura tem uma chamada no Google em que diz que "temos mais de 2.629.392 títulos esperando por você." (vale pra este momento, é claro).

E então, são livros demais ou não? Como escolher os títulos que devem estar no acervo de uma livraria dentre os 7 mil do grupo Ediouro, dos 5 mil do grupo Record, dos 3 mil da Cia das Letras, dos 1.200 da Zahar etc., etc. E como fica aquele primeiro título publicado ontem por uma nova editora? Editoras surgem quase que diariamente... Ah, e os títulos que não cabem fisicamente na livraria, ficam aonde? No depósito das editoras? Mas, se existe um livro publicado é muito possível que alguém possa se interessar em comprá-lo, nem que seja algum amigo, parente ou até o próprio autor. Tem livreiro que abre mão de uma possível venda? Começo a achar que sim.
Num próximo post voltarei a estas interrogações; espero que com possíveis respostas.

4 comentários:

marcão disse...

Jaime vc ta arrebentando! Mercado livreiro em crônica ágil, de fácil compreenção e divertida. Se vc continuar assim seu blog merecerá se transformar em coluna nos cadernos de literautura
Forte Aplexo!
Marcão

Taynée Mendes disse...

Excesso de livro e escassez de leitores....

parabéns pelo blog, excelente!

abs

Alexandre disse...

Com o avanço tecnológico, ficou muito mais fácil editorar e publicar um livro, e por isso há um aumento muito grande nos lançamentos. No entanto, a qualidade editorial, gráfica e de conteúdo muitas vezes fica a desejar. Cabe a cada livraria filtrar suas escolhar a partir do seu perfil.

Jaime Mendes disse...

Alexandre,

você tem razão quando diz que ficou mais fácil editar e publicar um livro. Hoje não é necessário nem o fotolito.

Com relação à qualidade editorial e gráfica, acho que as editoras brasileiras, na sua maioria absoluta, primam pela qualidade nos dois aspectos. Apesar de, em muitos casos, lançamentos internacionais serem publicados no Brasil no mesmo ano, é claro que ainda faltam obras importantes nos catálogos das nossas editoras. Mas a defasagem fica menor a cada dia.